A Intercessão dos Santos segundo as Escrituras

Provas bíblicas da possibilidade da Intercessão dos Santos que não deixam nenhuma dúvida:

(Jó 33),

  1. “Se comparecer junto dele um anjo, um intérprete entre milhares, para anunciar ao ser humano o que convém,
  2. para dele ter compaixão e dizer a Deus: ‘Livra-o, para que não desça à cova, pois achei motivo para ser-lhe propício. ’
  3. Então seu corpo recobrará a seiva juvenil, e ele voltará aos dias da sua mocidade.
  4. Suplicará a Deus, e Deus lhe será propício; e verá com alegria a sua face, a face de quem ao ser humano faz justiça.
  5. Então cantará, diante de todos, dizendo: ‘Eu tinha pecado, violei a justiça, mas não fui submetido ao castigo.
  6. Ele me livrou do caminho da cova para que, vivendo, pudesse ver a luz!”

Essa passagem bíblica prova que a ignorância sobre a intercessão dos que combatem a Igreja é mortal.

IMPORTANTE: Quando a palavra diz “único mediador junto a Deus” não se refere à oração ou à intercessão como pensam os “crentes”, e sim à SALVAÇÃO.
Eis o que diz S. Paulo a esse respeito:
1Timóteo 2,5: “Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem” que se DEU EM RESGATE POR TODOS”.

Jesus Cristo HOMEM ”άνθρωπος” foi mediador da salvação, ou seja da NOVA ALIANÇA, como Moisés Mediou os anjos para a velha aliança (Gl 3,19-20).

Quem confunde santos com ídolos está difamando os que estão no céu e assim cumprindo a sinistra previsão bíblica:

“A PALAVRA DIZ QUE A BESTA DIFAMARÁ OS SANTOS DO CÉU. Ela abriu a boca para blasfemar contra Deus e amaldiçoar o seu nome e o seu tabernáculo, os que habitam nos céus.”

all_saints

Sobre as imagens:

PORQUE IMAGEM DE SANTO DEUS MANDA FAZER (Ex 25,18) Nosso Deus é perfeito ,ele não se contradiz.

Sobre os santos no céu (e não adormecidos):

Os santos são como anjos no céu (Lc 20,34-36; Mt 22,30).

Mais confirmações bíblicas:
A palavra diz que “OS FALSOS MESTRES DIFAMARÃO OS SANTOS DO CÉU (2Pd 2,10) especialmente os que seguem os desejos impuros da carne e desprezam a autoridade. Insolentes e arrogantes, tais homens não têm medo de difamar os seres celestiais; (Jd 1,8) Da mesma forma, estes sonhadores contaminam o próprio corpo, rejeitam as autoridades e difamam os seres celestiais.”

(Ap 8).
3. Adiantou-se outro anjo e pôs-se junto ao altar, com um turíbulo de ouro na mão.Foram-lhe dados muitos perfumes, para que os oferecesse com as orações de todos os SANTOS no altar de ouro, que ESTÁ adiante do TRONO.
4. A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus.
5. Depois disso, o anjo tomou o turíbulo, encheu-o de brasas do altar e lançou-o por TERRA; e houve trovões, vozes, relâmpagos e terremotos.

II Macabeus 15

  1. Assim armou a todos não com a segurança que vem das lanças e dos escudos, mas com a coragem que suscitam as boas palavras. Narrou- lhes ainda uma visão digna de fé uma espécie de visão que os cumulou de alegria.
  2. Eis o que vira: Onias, que foi sumo sacerdote, homem nobre e bom, modesto em seu aspecto, de caráter ameno, distinto em sua linguagem e exercitado desde menino na prática de todas as virtudes, com as mãos levantadas, orava por todo o povo judeu.
  3. Em seguida havia aparecido do mesmo modo um homem com os cabelos todos brancos, de aparência muito venerável, e nimbado por uma admirável e magnífica majestade.
  4. Então, tomando a palavra, disse-lhe Onias: Eis o amigo de seus irmãos, aquele que reza muito pelo povo e pela cidade santa, Jeremias, o profeta de Deus.

Tobias 12

  1. Quando tu oravas com lágrimas e enterravas os mortos, quando deixavas a tua refeição e ias ocultar os mortos em tua casa durante o dia, para sepultá-los quando viesse a noite, eu apresentava as tuas orações ao Senhor.
  2. Eu sou o anjo Rafael, um dos sete que assistimos na presença do Senhor.

Filipenses 1

  1. Mas, se o viver no corpo é útil para o meu trabalho, não sei então o que devo preferir.
  2. Sinto-me pressionado dos dois lados: por uma parte, desejaria desprender-me para estar com Cristo – o que seria imensamente melhor; deixando o exílio do corpo e recebendo o seu trono na pátria celestial;

Apocalipse 20

  1. Vi também tronos, sobre os quais se assentaram aqueles que receberam o poder de julgar: eram as almas dos que foram decapitados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus, e todos aqueles que não tinham adorado a Fera ou sua imagem, que não tinham recebido o seu sinal na fronte nem nas mãos. Eles viveram uma vida nova e reinaram com Cristo por mil anos.

 

A BÍBLIA AFIRMA QUE…

Mt 27,52…
(Depois) da ressurreição de Jesus Cristo muitos santos ressurgiram depois dele e (apareceram) a muitos; o autor do evangelho deixa isso claro: (DEPOIS) DA SUA RESSUREIÇÃO, MUITOS CORPOS (DE SANTOS ) SAÍRAM DE SEUS TÚMULOS.
E abriram-se os sepulcros, e muitos (corpos DE SANTOS) que dormiam foram ressuscitados;
E, saindo dos sepulcros, (depois da ressurreição de Jesus), entraram na cidade santa, e (apareceram) a muitos.

NOTE-SE QUE:

Mateus 27,52-53 coloca que (DEPOIS) DA RESSURREIÇÃO DELE, santos (APARECERAM) A MUITOS.
Isso diz que Cristo ressurgira antes, como premissa, e que Cristo também apareceu aos apóstolos.

E MAIS… A PASSAGEM ABAIXO MOSTRA HOMEMS —VESTIDOS DE BRANCO—(santidade)  que aparecem:

Atos 1 9.
Depois de dizer isso, Jesus foi levado ao céu à vista deles.
E quando uma nuvem o cobriu, eles não puderam vê-lo mais. 10.
Os apóstolos continuavam a olhar para o céu, enquanto Jesus ia embora.
Mas, de repente, dois (homens vestidos de branco) (apareceram) a eles e disseram: “Homens da Galiléia, por que vocês estão aí parados, olhando para o céu? Esse Jesus que foi tirado de vocês e levado para o céu, virá do mesmo modo com que vocês o viram partir para o céu.”

NOTA:

Esses homens vestidos de branco, como Cristo, aparecem também, o que mostra não serem mais homens comuns e mortais.

Tais “homens de vestes brancas” são apresentados como pessoas que foram santas ou mártires na terra e que serviram a Deus.

 

VEJA-SE A NITIDEZ:

Vi sob o ALTAR as ALMAS DOS HOMENS IMOLADOS por causa da Palavra de Deus e por causa do testemunho que dela tinham prestado.

E CLAMARAM EM ALTA VOZ: Até quando ó Senhor, Santo e Verdadeiro, tardarás a fazer justiça, vingando o nosso sangue contra os habitantes da terra?

A cada um deles foi dada, então, uma veste branca, e foi-lhes dito, também, que aguardassem ainda um pouco, até que se completasse o número dos seus companheiros e irmãos, que iriam SER MORTOS COMO ELES.” (Apc 6,9-11)

Então um dos anciões falou comigo e perguntou-me:

Esses, que estão revestidos de vestes brancas, quem são e de onde vêm?

Respondi-lhe: Meu Senhor, tu o sabes.

E ele me disse: Esses são os SOBREVIVENTES da grande tribulação.

Lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro.

Por isso, ESTÃO DIANTE DO TRONO DE DEUS, E O SERVEM, DIA E NOITE, NO SEU TEMPLO.” (Apc 7,13-15)

 

MAIS INTERCESSORES

O anjo intercedeu por Jerusalém ao Senhor dos exércitos:

“Então o anjo do Senhor respondeu, e disse: Ó Senhor dos exércitos, até quando não terás compaixão de Jerusalém, e das cidades de Judá, contra as quais estiveste indignado estes setenta anos? ”

(Zac 1,12)

Onias (…) estava com as mãos estendidas, INTERCEDENDO por toda a comunidade dos judeus.

Apareceu a seguir um homem notável (…) Esse é aquele que MUITO ORA pelo povo e por toda cidade santa, é Jeremias, o Profeta de Deus.”

(2Mac 15,12-14)

O arcanjo Rafael diz a Tobias: “Quando rezavas com lágrimas, e sepultavas os mortos, eu oferecia tua oração a Deus” (Tob. 7, 12) (Os protestantes tiraram esse livro…).

Jeremias: “E o Senhor disse-me: ainda que Moisés e Samuel se pusessem diante de mim, a minha alma não se inclinaria para este povo; tira-os da minha face e retirem-se” (Jer 15, 1 ss).

De imediato, é bom lembrar que Cristo levou para o céu no mesmo dia de sua morte o bom ladrão.
Pois ele disse: “hoje estarás comigo no paraíso”. (Lucas 23,43).
Podemos ver que o bom ladrão está bem acordado, certo? e que Jesus não está mais sozinho no Paraíso. Na parábola do rico e de Lázaro, observamos também que não dormem.

Os que já estão na glória de Deus pode interceder junto a Cristo por nós. É o que veremos de agora em diante os Anjos e os Santos intercedem a Deus por nós Os Santos no céu estão na mesma condição dos Anjos, pois conservam as suas naturezas individuais e intelectuais, e possuem a mesma Luz divina na qual veem a Deus, e em Deus e tudo que a sua mente pode conhecer na tua Luz veremos a Luz” –

(Salmos 35,10).

Por isso, a Bíblia afirma que os Santos “julgarão o mundo”(1Coríntios 6,2). Para fazerem esse julgamento devem conhecer os atos nele praticados. Portanto, os Santos conhecem as nossas precisões e intercedem por nós como nossos amigos junto de Deus.

É o que lemos em várias passagens da Bíblia:

  1. a) Em Jeremias lemos: “E o Senhor me disse: „ainda que Moisés e Samuel se apresentassem diante de mim, o meu coração não se voltaria para esse povo” (Jeremias 15,1).

Ora, Moisés e Samuel já não eram do números dos vivos, e podiam, no entanto, interceder pelo povo.

Note-se que em (2 Macabeus 15,14), o próprio Jeremias, já falecido, é apresentado como, quem “muito ora pelo povo e pela cidade santa”.

  1. b) No Apocalipse São João narra a visão que teve de Jesus Cristo em seu trono de glória, e como, diante d’Ele, se apresentavam anciãos “com taças cheias de perfume, que são as orações dos santos” (Apocalipse 5,8) ( Apocalipse 8,4). Esses anciãos significam os “Santos da glória” ao apresentarem a Jesus as orações dos “santos da terra”, ou seja, os fiéis de Cristo nesse mundo. Trata-se de uma forma de mediação secundária dos Santos entre Cristo e os seus fiéis.
  2. c) No 1º livro dos Reis lemos que Deus prometeu a Salomão conservar para seu filho (Davi) a tribo ou reino de Judá, “em atenção” e “por amor ao seu servo

Davi” (já morto) (1Reis 11,11-13).

Isso significa que Deus toma em consideração os pedidos dos seus amigos também do Céu, os Santos. d) Igual sentido tem a oração de Moisés pedindo a Deus que poupasse o povo culpado em atenção aos patriarcas Abraão, Isaac e Jacó, todos já falecidos (Êxodo 32,11-14). e) Ainda no 2º livro dos Reis a Bíblia narra o milagre da ressurreição de um morto, ao contato com os ossos do profeta Eliseu (2 Reis 13,21).

Note-se que nesse texto está divinamente aprovada ainda a prática católica de se guardarem com respeito as relíquias dos Santos, pois, também através delas Deus pode nos conceder graças e favores.

Na Parábola do pobre Lázaro e do rico, Jesus apresenta Abraão sendo rogado pelo rico mau que foi condenado ao inferno (Lucas 16, 27).

Mas, o rico não pôde ser atendido. Com isso Jesus significou a possibilidade de se pedir ajuda aos amigos de Deus que estão no céu, pois o rico mau pediu a intercessão de Abraão.

Se os santos da terra (os fiéis em Cristo) intercedem junto de Deus pelas necessidades dos irmãos, conhecidos e desconhecidos (são incontáveis os casos na Bíblia), quanto mais os Santos da glória que, na Luz divina, conhecem perfeitamente as nossas precisões (como acima ficou provado). Eles intercedem com certeza por nós junto de Deus. Ler ainda (Sabedoria 18,20-22).

Para nós Católicos os santos já estão no Céu, e podem interceder por nós ( Apocalipse 6,9-10) (Apocalipse 5,9) (Apocalipse 14,3) e (Apocalipse 15,3)

Por fim, um argumento de reta razão ou de bom senso:

É conforme à natureza dos seres criados por Deus que os inferiores obtenham favores dos superiores também pela mediação de amigos de ambos. A própria mediação de Cristo tem por base este princípio. Ora, os Santos são amigos de Deus e nossos na glória (Lucas.16,9). Logo, eles não só podem, mas realmente intercedem por nós junto de Deus.

 

Conclusão:
Esses são alguns fundamentos bíblicos da prática católica da devoção ou culto dos anjos e dos Santos que provam, com base nas escrituras mesmas, a possibilidade da intercessão dos santos.

Como dissemos, contra isso os protestantes costumam argumentar que há um só Mediador, Jesus Cristo, citando 1 Timóteo 2,5.

Mas, a isso se responde completando a citação no versículo 6: “. . . o Qual Se entregou em Redenção por todos”.

Ou seja, Cristo é, sim, o único Mediador, mas “da redenção”. O que não exclui a mediação de intercessão dos Anjos e Santos, como acima ficou provado.

Além disso, estando os “Santos da glória” na mesma condição dos Anjos, eles podem também ser venerados como os Anjos o foram por homens justos ou seja, pelos fiéis, conforme está na Bíblia.

Pelo fato de os habitantes do céu estarem unidos mais intimamente com Cristo, consolidam com mais firmeza na santidade de toda a Igreja Corpo de Cristo. Eles não deixam de interceder por nós junto ao Pai que veem face a face, apresentando os méritos que alcançaram na terra pelo único mediador de Deus e dos homens, Cristo Jesus. Por conseguinte, pela fraterna solicitude deles, a nossa fraqueza recebe o mais valioso auxílio.

Sendo os Santos amigos de Deus pela santidade, e nossos, pela sua perfeita caridade, é justo que lhes tributemos os louvores que, sob esse duplo título, merecem; e que nos recomendemos à sua intercessão junto de Deus.

É justo, visto que neles também se realiza, embora em grau bem menor mas bem verdadeiro, o que disse de si mesma, mas cheia do Espírito Santo, a mais santa que todos os Santos, Maria Santíssima:

“Todas as gerações me proclamarão bem-aventurada, porque fez em mim grandes coisas o Todo-Poderoso” (Lucas 1,48-49)

Vê-se, por essas palavras inspiradas, que o louvor dos Santos redunda em louvor e glória de Deus, pois os Santos são obras-primas da sua sabedoria, bondade e poder. Quando os louvamos, é a seu Autor que louvamos.

De fato, sendo Deus admirável em seus Santos, e os Santos, obra de sua graça (à qual eles corresponderam fazendo a sua parte), Deus os ama sob esse título. Aliás, no preceito de “amar e honrar a Deus” está incluindo o de amar e honrar a tudo o que Ele ama e honra, e segundo a ordem com a qual Ele o faz.

Deus ama, de modo especial, aos seus Santos: Jesus Cristo enquanto Homem, Maria Santíssima, todos os anjos e todos os Santos da glória e também às santas almas do Purgatório. E finalmente, aos que ainda pelejam neste mundo.

Quem acusa o catolicismo de pregar idolatria aos santos, não está combatendo apenas a Igreja, mas a Cristo, o Espírito da Verdade e a palavra de Deus nas escrituras.

=-=-=

E o que ensina a Igreja?
Diferenças de cultos (latria, dulia e hiperdulia)

Alguns protestantes confundem o culto que os católicos tributam aos Santos com o culto que se deve a Deus. Para introduzir o assunto da intercessão dos Santos é necessário esclarecer a diferença que existe entre cultos de “dulia”, “hiperdulia” e “latria”.

Em grego, o termo “douleia” significa simplesmente orar ou reverenciar alguém.
A sagrada escritura usa o termo “adorar” em várias acepções, tanto no sentido de douleia como de latreia, como se prova através da “Vulgata”, Bíblia católica original e escrita em latim:

“Tu adorarás o teu Deus” (Mt 4.10)
“Abrão levantando os olhos, viu três varões em pé, junto a ele. Tanto que ele os viu, correu da porta da tenda a recebê-los e prostrando em terra os adorou” (Gn.18.12)

Eis os dois sentidos bem indicados pela própria Bíblia: adoração suprema, devida só a Deus, e adoração de reverência, devida a outras criaturas.

A Igreja católica, no seu ensino teológico, explcita isso com uma exatidão matemática.
A adoração do lado de seu objeto, divide-se em três classes de culto:

1–culto de latria (grego: latreia) quer dizer adorar.
2–culto de dulia (grego: “douleia”) quer dizer honrar.
3–culto de hiperdulia (grego: hiper, acima de; douleia, honra) ou acima do culto de honra, sem atingir o culto de adoração.

A latria é o culto que se deve somente a Deus e consiste em reconhecer nele a divindade, prestando uma homenagem absoluta e suprema, como criador e redentor dos homens. Ou seja, reconhecer que ele é o Senhor de todas as coisas e criador de todos nós, etc.

O culto de dulia é especial aos Santos, como sendo amigos de Deus.

O culto de hiperdulia é o culto especial devido a Maria Santíssima, como mãe de Deus.

Já demonstramos, com o trecho do Gênesis, que a acusação de idolatria não procede. E para elucidar de forma mais clara o problema, devemos recordar que o culto de “latria” (ou de dulia) é um ato interno do homem, que se pode se manifestar de formas variadas, conforme as circunstâncias e as disposições de alma de cada um.

Os atos exteriores — como genuflexão inclinação , etc. são classificados tendo em vista o “objeto” a que se destinam.
Se é aos santos que se presta a inclinação, é claro que se trata de um culto de dulia. Se é a Maria Santíssima, hiperdulia.

Aliás, a inclinação pode ser até um ato de agressão, como no caso dos soldados de Pilatos que, zombando de Nosso Senhor,”lhe cuspiram no rosto e prostando-se de joelhos, o adoravam” (Mc 15,19).
A objeção protestante dessa forma cai por terra, ou teriam que afirmar que havia uma “adoração” por parte dos soldados de Pilatos, o que é absurdo.
Eles simulavam uma adoração (ou veneração ao “Reis dos Judeus”), através de atos exteriores, mas seu desejo era de zombaria. (S. João 8,32).
Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.

Escrito por Cláudio Maria. Católicos Online.