O uso das Imagens no cristianismo primitivo

Após a morte de Jesus Cristo, a pregação do cristianismo, recaiu sobre os ombros dos apóstolos, logo, quando finalmente se expandiu por diversas áreas principalmente por Roma e pelos territórios dominados por ela. Com o passar do tempo, a ação dos apóstolos se mostrou mais eficaz, então o cristianismo se tornou para os dirigentes romanos, uma afronta aos valores e interesses do império. A crença monoteísta era contrária ao panteão de divindades romanas, entre as quais se destacava o próprio culto ao imperador de Roma. Ao mesmo tempo, o conceito de liberdade fazia com que vários escravos não se submetessem à imposição governamental que legitimava a posição subalterna dos mesmos.

 Dessa forma, os cristãos passaram a ser perseguidos das mais variadas formas. Eram torturados publicamente, lançados ao furor de animais violentos, empalados, crucificados e, até mesmo, queimados vivos. Para redimir e orar pelos seus mártires, os cristãos passaram a enterrá-lo nas chamadas catacumbas. Estas funcionavam como túmulos subterrâneos onde os cristãos poderiam fugir dos soldados romanos, entoarem cantos e pintar imagens que manifestavam sua fé. As primeiras catacumbas encontradas são datadas do século II d.C

A pintura elaborada no interior das catacumbas era rodeada de uma simbologia que indicava a forte discrição do culto cristão naquele momento. O que mostra que desde o cristianismo primitivo as imagens eram utilizadas pra expressão de fé e devoção. As imagens mais freqüentes eram o crucifixo, que lembrava o sacrifício de Jesus. A âncora que significava o ideal de salvação. O peixe era bastante comum, pois peixe em grego é ICTUS que é eram as mesmas iniciais de: “Jesus Cristo, Filho de Deus, Salvador” e diversas passagens bíblicas.

As catacumbas e os pais da Igreja

Entre o final do quarto e do início do século quinto, os Padres da Igreja descreveu as catacumbas. São Jerônimo foi o primeiro a contar como ele quando ainda era estudante ia aos domingos visitar os túmulos dos apóstolos e dos mártires, juntamente com seus companheiros de estudo: “Gostaríamos de entrar as galerias escavadas das entranhas da terra… luzes raras vindas de cima da terra atenuam a escuridão um pouco… Nós avançamos lentamente, um passo de cada vez, completamente envoltos em trevas”. O poeta ibérico, Prudêncio, também lembra que, nos primeiros anos do século quinto, que muitos peregrinos para Roma e até mesmo de regiões vizinhas para venerar o túmulo do mártir Hipólito que foi enterrado nas catacumbas da Via Tiburtina.

Abaixo fizemos uma seleção de imagens das catacumbas que nos ajudam entender como desde os apóstolos as imagens eram utilizadas:

Catacumbas-de-Priscila-1-Portal-Conservador Catacumbas-de-Priscila-2-Portal-Conservador

Fotos da Catacumba de Priscila em Roma

Catacumbas-de-Priscila-3-Portal-Conservador

Imagem que retrata a história dos 3 jovens na fornalha cantada pelo livro de Daniel, nas paredes da Catacumba de Priscila em Roma

Catacumbas-de-Priscila-4-Portal-Conservador

Retratação de Jonas sendo vomitado pela baleia – Catacumba de São Marcelino e Pedro em Roma.

Catacumbas-de-Priscila-5-Portal-Conservador

Noé na Arca – Catacumba de São Marcelino e Pedro em Roma.

Catacumba-de-Sao-Sebastiao-em-Roma-Portal-Conservador

Inscrições funerárias com símbolos – Catacumba de São Sebastião em Roma

Catacumbas-de-Priscila-6-Portal-Conservador

Maria e o Profeta – Catacumba de Priscila em Roma (Século III)

Essa é a imagem mais antiga preservada de Maria, que é retratada em uma pintura no cemitério de Priscila na Via Salaria. O afresco, é datado da primeira metade do século III, mostra a Virgem com o Menino de joelhos na frente de um profeta (talvez Balaão ou Isaías), que aponta para uma estrela para se referir a previsão messiânica. Nas catacumbas outros episódios com Nossa Senhora também são representados, como a Adoração dos Magos e cenas do presépio de Natal, acredita-se que antes do Concílio de Éfeso, todas essas representações tiveram um significado cristológico.

Catacumbas-de-Priscila-7-Portal-Conservador

O bom pastor –Catacumba de Priscila em Roma (Século III)

Catacumba-de-Sao-Sebastiao-em-Roma-2-Portal-Conservador

Inscrições devocionais – Catacumba de São Sebastião em Roma

Cripta-de-Sao-Gaio-e-Eusebio-Portal-Conservador

Peixe Eucarístico (Representação de Jesus) – Crípta de São Gaio e Eusébio

Catacumba-de-Sao-Calisto-Portal-Conservador

Galeria da Catacumba de São Calisto

Catacumba-de-Sao-Calisto-2-Portal-Conservador

Lóculos (nichos de inumação) – Catacumba de São Calisto.

Catacumba-de-Sao-Calisto-3-Portal-Conservador

Chi-Rho e o símbolo do peixe – Catacumba de São Calisto

Catacumba-de-Sao-Calisto-5-Portal-Conservador

Afresco do Pão e Peixe Eucarísticos – Catacumba de São Calisto

Catacumba-de-Sao-Calisto-4-Portal-Conservador

Cristo como bom pastor – Catacumba de São Calisto

Catacumba-de-Domitila-Portal-Conservador

Cristo como bom pastor – Catacumba de Domitila

Catacumba-de-Comodila-Portal-Conservador

Afresco com Cristo de barba – Catacumba de Comodila

Catacumba-de-Sao-Sebastiao-3-Portal-Conservador

Epitáfio na Catacumba de São Sebastião

Pyxis-Portal-Conservador

Pyxis Retratando mulheres no sepulcro de Cristo (Século IV)

Narrativa cenas como essa, feita visível as palavras dos Evangelhos. De um lado da Pyxis, em uma cena baseada no Evangelho de Lucas (24, 1-10), três mulheres, a Virgem Maria, Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, ficarem com as mãos levantadas no orant (oração) pose. Do outro lado da caixa, duas das Maria’s balançar turíbulos medida que se aproximam um espaço abobadado onde as cortinas amarradas para trás revelam um altar iluminado por uma lâmpada suspensa.A iconografia da área do altar é familiar a partir do quinto século Pola Marfim (Museo Archeologico, Veneza), uma representação da área do antigo santuário de São Pedro em Roma.

Sobre o altar é o livro do Evangelho.No início da igreja, o altar passou a ser entendido como o símbolo da tumba de Cristo, essa fusão é parcialmente baseado no fato de que os elementos da Eucaristia foram colocadas no altar durante a liturgia, e especialmente preservadas porções depositada no altar para uso em emergências.recipientes do Marfim, como neste exemplo finamente esculpida trabalhou a partir de uma seção transversal de presa de um elefante, pode ter sido usado para transportar o pão da Eucaristia com os demais doentes ou idosos para participar do serviço.

Jesus, Pedro e Paulo (Século IV)

Catacumba-dos-Santos-Roma-Portal-Conservador

Catacumba dos Santos Marcelino e Pedro na Via Labicana. Cristo entre Pedro e Paulo. Para os lados são os mártires Gorgonius, Pedro Marcelino , Tiburtius. Este cemitério está no terceiro marco na Via Labicana, perto de uma vila imperial pertencente a Constantino.

Rosto-de-Cristo-Portal-Conservador

Rosto de Cristo da Foto anterior mais de perto

BIBLIOGRAFIA

Vaticano. The Christian Catacombs. Disponível em: <http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_commissions/archeo/inglese/documents/rc_com_archeo_doc_20011010_cataccrist_en.html> Acesso Acesso em: 20/11/2012.

The Christian Catabombs of Rome. The Catacomb of St. Callixtus. Disponível em: <http://www.catacombe.roma.it/en/catacombe.php>. Acesso em: 20/10/2012.

RODRIGUES, Rafael. Apologistas Católicos: O uso das imagens no cristianismo primitivo. Apologistas Católicos. Disponível em: <http://apologistascatolicos.com/index.php/apologetica/imagens/541-o-uso-das-imagens-no-cristianismo-primitivo>. Desde 20/11/2012.