Comunistas chineses são mais predatórios do que os primeiros capitalistas, diz economista

Se o fim da Guerra Fria foi interpretado como um sinal do triunfo do capitalismo ocidental sobre o comunismo, Loretta Napoleoni (foto) argumenta o oposto: o mundo está testemunhando, na verdade, o início do colapso do capitalismo e a vitória do “comunismo com a motivação do lucro”. A partir de análise detalhada da economia e política chinesas, a autora aponta os motivos e etapas do seu possível sucesso, e desenvolve uma consistente comparação entre Ocidente e Oriente.

Loretta-Napoleoni-Portal-Conservador

Para ela, os “asiáticos criaram uma forma de comunismo que funciona, evolui e produz maior bem-estar social do que a maioria dos países”. Ao mesmo tempo, a economista não foge de temas complexos, como o emprego de trabalhadores em condições sub-humanas, o incentivo às empresas estrangeiras em detrimento das locais e, claro, a forma de governo totalitário chinês.

“Por quê? Porque os líderes chineses leram ‘O Capital’, de Marx, e entenderam que ele é uma análise do capitalismo, não uma proposta para a sua destruição”, escreve a economista em “Maonomics”.

“Maonomics – Por que os Comunistas Chineses se Saem Melhores Capitalistas do que Nós” foi lançado em 2011 e neste início de novembro recebeu uma tradução em língua portuguesa, lançada pela Editora Bertrand Brasil. Loretta Napoleoni, além de ser economista, é uma jornalista especializada em lavagem de dinheiro e terrorismo, com formações na London School of Economics e na Universidade Johns Hopkins.

 

Comentários

1 Comentário

  1. Danilo A.F.M disse:

    O comunismo Chines se envereda em criar uma nova via para suas ideias fanáticos. Entretanto, acredito que uma reformulação desse tipo confere um aspecto mais visível do capitalismo, ainda que o problema seja mesmo a ideologia fanática. O comunismo ruirá por si mesmo.

Escreva um comentário





*