Deputados denunciam fraude em votação eletrônica do Estatuto da Família

A maior enquete da história do Portal da Câmara dos Deputados está sob suspeita. Lançada em fevereiro de 2014, a enquete passou dos 10,3 milhões de votos. Ao menos três milhões teriam sido gerados por computadores. Especificamente, 66 computadores teriam sido responsáveis por gerar mais de três milhões de votos, todos para a resposta “Não”, relativa à pergunta: “Você concorda com a definição de família como o núcleo formado a partir da união de um homem e uma mulher prevista no projeto que cria o Estatuto da Família?”. O projeto é de autoria do deputado federal pernambucano Anderson Ferreira (foto), do Partido da República (PR). Um único IP teria gerado 1,6 milhões de votos.Deputado-Anderson-Ferreira

A fraude fica evidente nos dados fornecidos pela Central de Informática (Cenin), da própria Câmara dos Deputados. O deputado revela que só do município de Garanhuns, em Pernambuco, vizinha à cidade de Caetés, terra natal do ex-presidente Lula, foram 122 mil votos em um único dia, para uma única opção (“Não”). O número de habitantes não chega a 115 mil. Outro caso gritante ocorreu nos Estados Unidos. Numa cidade de apenas 8,5 mil habitantes, foram contabilizados 60 mil votos, em um único dia e também para uma única opção (“Não”). Caso seja comprovada a fraude, o placar ficará em 67% votos a favor da família formada entre homem e mulher, e apenas 33% contra.

Nas palavras do deputado, “ao contrário do que a enquete está mostrando, a população não está dividida. Houve manipulação na votação para confundir a sociedade de que há um sentimento contrário ao Estatuto da Família. Por trás desta fraude há um grupo que não aceita uma sociedade cristã e tradicional. Vamos apurar e provar que o resultado está fraudado”.

O também deputado Diego Garcia (PHS), do Paraná, denunciou a manipulação de votos na sessão do Plenário desta quinta-feira (20). Reclamou ao presidente da Casa, Eduardo Cunha, que a vitória de 51,62% (Não) contra 48,09% (Sim) para o conceito de núcleo familiar no Estatuto da Família não poderia ser considerada. O solidarista é representante da Comissão Especial que analisa o projeto de lei 6583/13 e pediu à administração da Casa para publicar uma nota no portal com os dados reais, considerando apenas um voto por IP.

Diego-Garcia-Portal-Conservador

“Gostaria de solicitar encarecidamente que o resultado da enquete, se mantido como está, apresentasse uma explicação do ocorrido, ou de outra forma, considerasse apenas os votos únicos, para efeito de apresentação do resultado”, encerra o deputado Diego Garcia. Eduardo Cunha afirmou que a presidência vai determinar as providências legais para verificar a denúncia, mesmo que seja por estabelecimento de sindicância e que o resultado dela será disponibilizado de forma pública.

Comentários

0 Comentário

Escreva um comentário





*