Elton John lidera movimento gay contra Dolce & Gabbana

Dolce & Gabbana é uma famosa grife, com sede em Milão, na Itália, e uma das mais renomadas do mundo. Ambos os fundadores da grife, Domenico Dolce e Sttefano Gabbana, estão envolvidos no centro de uma campanha de boicote promovida pelo cantor inglês Elton John. O motivo? Declarações um “tanto tradicionais” por parte dos estilistas, que, notem, são homossexuais.

Em entrevista concedida à revista semanal Panorama, os estilistas declararam que defendem a família tradicional. “Você nasce de uma mãe e de um pai – ou pelo menos é assim que deveria ser. É por isso que não acreditamos em crianças criadas pela química, em bebês sintéticos e em barrigas de aluguel.” E concluiu: “Nós nos opomos a união gay. A única família é a tradicional”.

Ainda em 2006, Gabanna já havia comentado que não concorda com a ideia de uma criança crescer com dois pais homossexuais. “Uma criança precisa de uma mãe e de um pai”, falou, na época. “Eu não conseguiria imaginar a minha infância sem a minha mãe. Também acredito que é cruel tirar um bebê da sua mãe.”

Depois da publicação do semanário, Elton John foi incisivo em sua conta no Instagram: “Como vocês ousam se referir aos meus filhos lindos como ‘sintéticos’. E deveriam ter vergonha por apontarem seus dedinhos moralistas à fertilização in vitro… seu pensamento arcaico está em descompasso com nosso tempo, assim como sua moda. Nunca mais voltarei a vestir Dolce & Gabbana”. O músico finalizou a mensagem com a hashtag #BoycottDolceGabbana, incentivando outras pessoas a fazerem o mesmo. Famosos como o cantor Ricky Martin e a atriz Victoria Beckham aderiram à campanha.

Em sua conta pessoal, Gabbana foi incisivo: “Nós prezamos pela liberdade. Qualquer um pode fazer as escolhas que quiser. Domenico tem suas ideias, ele fez algumas escolhas. Elton John fez escolhas diferentes. Diferentes escolhas, vidas diferentes. Respeito igual. O que eu vejo, principalmente on-line, é um monte de pessoas gays que são homofóbicas: pessoas gays que vão atacar outras pessoas gays que expressem ideias que são diferentes das delas.”

Dolce-Gabbana-Portal-Conservador

Elton John entra em um estúdio de gravação com uma sacola Dolce&Gabbana, para pôr o boicote em prática

Também Gabbana proferiu um comunicado: “Acreditamos firmemente na democracia e achamos que a liberdade de expressão é essencial para isso (…) Acreditamos no amor e na paz (…) Sou siciliano e cresci com o modelo da família tradicional, feito de mãe, pai e filhos. (…) Sei que existem outras realidades, e é justo que elas existam, mas essa é a minha opinião, isso é o que me foi dado. Cresci assim, mas isso não significa que não vou aprovar outras opções. Nós acreditamos na democracia e pensamos que a liberdade de expressão é essencial. Não era nossa intenção emitir juízos sobre as escolhas dos outros.”

Nota do editor: A militância gay internacional não representa a opinião dos próprios homossexuais. Existem muitos gays que defendem a família tradicional, como os estilistas Dolce e Gabbana o fazem (o que termina por jogar a própria opinião pessoal dos homossexuais ao ostracismo), e logo a militância busca os meios de calar à aqueles que julgam representar, como se os indivíduos humanos (divididos em grupos e colectivos) devessem rezar segundo à cartilha promovida e instalada conforme o ditame das organizações internacionais. Se mesmo dois homossexuais famosos estão enfrentando graves problemas com suas declarações pessoais, tão somente pela defesa da família tradicional, é de se imaginar o posicionamento do cidadão homossexual comum. Tempos nebulosos os que vivemos, em que a liberdade de expressão é uma grande farsa.

Assine a petição em apoio a Dolce&Gabbana, no Citizengo.

Comentários

1 Comentário

  1. Isaías disse:

    Não sou contra nem a favor, só sinto que o “politicamente correto” virou a “santa inquisição” dos tempos modernos. Ai de quem discordar. Onde está a liberdade de expressão que tanto se prega?

Escreva um comentário





*