Homens do Ocidente, resistirei

Assistindo o último filme da saga do Senhor dos Anéis, O Retorno do Rei, chamou-me chamou a atenção o discurso de Aragorn ao pequeno grupo de homens que o seguia para a batalha final, uma das frases mais emocionantes ocorre quando Aragorn brada aos soldados para encoraja-los: “Homens do ocidente resistam.”

Como ocidentais sempre vimos nossos exércitos vencerem os inimigos do Leste, sejam eles cartagineses, persas ou árabes e mais recentemente também nos saímos vencedores na Guerra Fria. O gosto pela liberdade individual, o zelo pela família e a propriedade privada e sobretudo pela nossa religião, eram os motivos que davam forças aos nossos braços para a batalha e vencemos os marxistas. Mas não nos demos conta de que quando o muro caiu, foram eles que passaram para o nosso lado. 
E hoje via marxismo cultural estamos assistindo a queda de todas as nossas instituições, justamente aquelas por qual mais lutamos com tanta paixão para defende-las e que custou tantas vidas.

o-retorno-do-rei

Assim como os gregos conquistados pelos romanos, acabaram por conquistar Roma através de sua cultura, vemos a história se repetir. O que os socialistas não conseguiram através das armas, estão conseguindo através da cultura, a Família Tradicional (monogâmica e heterossexual), a Ciência entre outros patrimônios da nossa civilização estão caindo diante dos ataques marxistas que substituíram os seus exércitos por ONGS e que tomaram o poder e o governo em nações cristãs através do voto.

O flerte com o Oriente em nossa civilização não é recente desde Henry Thoreau e Ralph Waldo Emerson (talvez os primeiros hippies de que se tem noticias) já flertavam com o hinduísmo.

Na década de 20 do Séc. XX, veremos através da Escola de Franckfurt, o marxismo cultural fazer sinistras alianças com a psicanálise, com todas as formas de misticismos orientais e multiculturalismo para atacar o cerne de nossa civilização, a Moral Cristã. O que se seguiu foi a contestação de todos os nossos valores a partir da Revolução Sexual dos anos 60 e a lenta mas determinada destruição de nossa sociedade. 

Em nossa ingenuidade sempre estivemos insatisfeitos com o nosso modo de vida, procurando filosofias alternativas, que fizessem nos sentir melhor como os contos de fadas que contamos as nossas crianças. O Ocidente pós-moderno esta decidido a deixar de ser cristão sem perceber que foram os valores do Evangelho que produziram as principais conquistas de nossa civilização. Precisamos resgatar os nossos valores tradicionais. Essa batalha é a batalha derradeira de nossa civilização e não serão com armas que ela será combatida, a luta será através do resgate de todos os nossos valores e o campo de batalha será na cultura do povo ocidental ou no que restou dela.

Escrito por Roberto Carlos Newton.

Comentários

0 Comentário

Escreva um comentário





*