Maomé se torna o nome mais popular para bebês na Inglaterra

Está havendo um aumento forte de nomes islâmicos na Inglaterra em 2014, de acordo com o jornal britânico Daily Mail. O campeão é Maomé, que é agora o nome mais popular escolhido para os bebês do sexo masculino na Inglaterra. Previsivelmente, os muçulmanos ultrapassarão o número de britânicos étnicos em poucas décadas, e a Inglaterra será oficialmente islâmica.

Hoje, muitos muçulmanos “ingleses,” que não são britânicos étnicos, estão se juntando a grupos terroristas islâmicos no Oriente Médio. Geralmente, eles nasceram de pais imigrantes. No passado, a Inglaterra enviava missionários cristãos aos países muçulmanos. Agora, a Inglaterra envia muçulmanos para matar cristãos na Síria e Iraque. Essa é uma amostra antecipada do que os britânicos étnicos experimentarão de seus ‘compatriotas’ fajutos nos próximos anos.

masjid-e-noor-in-preston-united-kingdom-05

Mesquita em Preston, Inglaterra

De estufa cristã a Inglaterra está se tornando uma estufa islâmica. Por que está acontecendo isso? Os britânicos não gostam de bebês e famílias grandes. Quando a Inglaterra era cristã, sabia que Deus gosta de bebês e famílias grandes e que a lei natural os fomenta. Agora a Inglaterra ama a cultura contraceptiva, com seu bônus de cultura da morte. Mas a lei natural não tem nenhum respeito por ambas culturas destrutivas.

A Inglaterra de hoje não tem nenhum respeito por sua herança cristã ou a lei natural. Qualquer cultura que mantiver o casamento, a família e os bebês sobreviverá. Qualquer cultura que desprezá-los se extinguirá. Então é perfeitamente natural que a cultura britânica esteja dando espaço para a cultura islâmica. Um berço muçulmano cada vez maior é prenúncio de um túmulo britânico cada vez maior.

A Inglaterra está perdendo no berço, e logo os muçulmanos lhes darão um túmulo cultural, religioso e étnico.

Comentários

1 Comentário

  1. jaspion disse:

    os muçulmanos são espertos: mandam os ingleses para o combate (e morte) lá no Oriente ao mesmo tempo em que se reproduzem feito coelhos na Inglaterra. Mal vejo a hora das feministas usarem burcas e nós diremos: “você caiu no conto do esquerdismo”.

Escreva um comentário





*