Nossa Senhora de Nazaré – a imagem esculpida por São José

Uma imagem que, a primeira vista, não inspira nenhuma curiosidade, mas é um dos maiores e mais antigos ícones da cristandade. Esculpida em madeira, com cerca de 25 cm de altura, representando a Virgem Maria sentada num banco baixo a amamentar o Menino Jesus, com as caras e as mãos pintadas de cor “morena”.

Conforme a tradição oral antiquíssima, a imagem foi esculpida por São José carpinteiro, pai nutrício de Jesus, que teria feito a obra de arte contemplando a virgem a amamentar seu divino infante. Sendo as caras e as mãos pintadas, décadas mais tarde, por São Lucas.

14520445_773168612855619_5287088969725779876_n

A dita imagem foi venerada nos primeiros séculos em Nazaré, mais tarde, a imagem foi levada para o mosteiro de Cauliniana, na Espanha. Depois, já no século VI, no ano de 711, foi levada para Portugal e por causa da invasão dos Mouros a imagem foi escondida numa gruta, permanecendo ali por mais de 400 anos.

Ela foi descoberta em 1182, por pastores que andavam pela região. Por causa da sua simplicidade, beleza e diferença dos padrões de imagens, Nossa Senhora de Nazaré voltou a ser venerada.

A devoção a Nossa Senhora de Nazaré se consolidou depois de o cavaleiro Diego Fuas Roupinho foi salvo por milagre de Nossa Senhora de Nazaré enquanto ele perseguia uma caça num dia de muita neblina. A caça caiu num abismo por causa da cerração. O cavaleiro não sabia que corria para o abismo. Mas, antes caísse, ele vinha rezando a Senhora de Nazaré para que o protegesse.

De repente, então, o cavalo parou. A cerração se dissipou e ele viu que estava à beira de um abismo onde a caça tinha caído. Após esse milagre, a vila onde ocorreu passou a ser chamada de Vila de Nossa Senhora de Nazaré. Lá, foi construída uma pequena capela por Diego Roupinho, o cavaleiro salvo. Hoje existe ali uma grande Igreja em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré.