O mito do conservadorismo russo

Após ter disseminado todo o tipo de valor subversivo ao redor do mundo [1], não deixando nem as estruturas do Vaticano livres de contaminação, a Rússia parece surgir como farol moral do mundo e último reduto do conservadorismo em uma era de ebulições revolucionárias. A estratégia do comunismo em se fazer parecer outra coisa completamente diferente para confundir o inimigo parece ter tanto sucesso que já existe conservador tecendo louvores a Vladimir Putin.

A ascensão do “conservadorismo” russo não poderia ocorrer sem a queda da imagem de um dos seus maiores rivais geopolíticos: os Estados Unidos. A URSS, que já dantes da Guerra Fria infiltrara agentes subversivos em espaços estratégicos da América, hoje colhe os frutos de um longo período de [im]plantação de corrupção moral do governo americano.

Se os EUA são uma nação cristã e temente a Deus, não é o que suas ações envolvendo governo civil e política externa demonstram. Poderão frutos bons saírem de uma árvore má?

Os russos estão vencendo a guerra contra os americanos sem disparar nenhum tiro, apenas ensinando-lhes como se render ao que de pior existe com a doutrina do politicamente correto. Internamente, os EUA hoje favorecem políticas que atacam a família, a religião cristã, promovem o aborto e o uso de drogas. Externamente, se metem em qualquer conflito ideológico para expandir sua atuação no globo. Foi assim que os EUA invadiram o Iraque sob o pretexto de depor um ditador assassino e acabaram colocando no comando um grupo terrorista responsável pelo genocídio de cristãos, yazidis e qualquer outro grupo étnico-religioso que não queira se render ao pacifismo do islã.

Putin-Portal-Conservador-eurasianismo

Que os EUA criaram o Estado Islâmico (EI) não é mais surpresa para ninguém, e até mesmo a direita americana está ciente disso [2]. A Operação Liberdade no Iraque treinou e forneceu armamento para milícias locais em nome do combate o terror, mas “combate ao terror”, àquela altura, era treinar grupos insurgentes que mais tarde lutariam para depor o regime de Muamar Kadafi (a maioria controladas pela Al-Qaeda, na Líbia) e de Bashar al-Assad (Al-Nusra, Síria), que o presidente George W. Bush havia definido como integrantes do “eixo do mal” [3]. A Frente Al-Nusra – braço da Al-Qaeda na Síria – estaria sob a supervisão direta dos EUA, enquanto que o ISIS, que veio de dentro da Al-Qaeda, saiu de controle.

A leniência dos EUA e dos países aliados em combater o EI de forma efetiva é devido ao fato de que o EI também é uma ameaça ao Governo sírio. Acabar com os rebeldes e com EI, o grupo anti-Assad com maior efetivo e poderio bélico na região, é diminuir as chances de uma deposição de Assad. O governo americano parece estar mais interessado em permitir a barbárie do EI, financiando grupos radicais com dinheiro do contribuinte, do que perder influência no Oriente-Médio.

A Rússia, que deu início às ações aéreas na Síria bombardeando em um único dia mais territórios rebeldes do que os EUA e aliados em meses, parece promover um verdadeiro turning point não apenas na região controlada pelo EI, mas na imagem que agora tenta sustentar perante a política internacional. Putin se aproveita do momento de fraqueza do governo americano para elevar sua imagem de bastião dos valores tradicionais.

Nossos conservadores, seduzidos pela defesa que o presidente russo vem fazendo do conservadorismo moral, já andam dizendo que Putin é o novo Comandante-em-chefe do Médio oriente, esquecendo-se das alianças de presidente russo com o aiatolá Ali Khamenei, líder supremo do Irã, que pretende varrer Israel do mapa [4], com a socialista China, que aumentou consideravelmente seu efetivo militar, e do envolvimento de Bashar al-Assad com o Hamas e o Hezbollah, grupos jihadistas também abertamente favoráveis a destruição do Estado israelense.

Após ter corrompido o Ocidente de tal forma que ficamos parecendo um cadáver em estado avançado de decomposição, a Antiga União Soviética personificada no “ex”-agente da KGB surge como único país do globo a condenar o mal que ela mesmo criou. Não precisamos lembrar que do mesmo modo agiu Lênin e Stálin, que condenando a miséria libertina dos EUA e o nazismo alemão, criaram um terror para o povo russo difícil de ser superado em número de cadáveres.

Com sorte o bloco de poder eurasiano não sairá desse conflito com a imagem e o prestígio de serem os novos defensores de um conservadorismo moral e cristão. São apenas lobos em peles de cordeiros.

Escrito por Felipe Lomboni. Publicado inicialmente sob o título “Rússia: Pátria Conservadora?”. Blog O Reacionário.

Comentários

14 Comentários

  1. Faissal disse:

    E sobre a ótima relação entre Estados Unidos e Árabia Saudita? O que você tem a dizer? Árabia Saudita a mãe do terrorismo islâmicos e a principal financiadora de grupos terroristas sunitas e de mesquitas pelo mundo…O vídeo onde o conservador Ronald Reagan aparece sentado na Casa Branca com o Talibã depois da derrota soviética no Afeganistão nos anos 80. O financiamento de armas á Saddam Hussein na Guerra Irã- Iraque.

    O que você tem a dizer sobre essas alianças dos EUA que depois de anos saiu tudo de controle?

  2. Rafael disse:

    Estou honestamente pouco me importando para Israel e até hoje não entendo como tantos conservadores agem como cãezinhos perante os Judeus. Não sou anti-semita (embora saiba que olavetes já estão salivando para me chamar disso), mas essa submissão é patética. Israel já deu inúmeros exemplos de como também não se importa com cristãos e só usa isso nos EUA para continuar com o apoio da superpotência. E vocês aplaudem, acham lindo. Acham que somos irmãos sob Deus.
    Em uma pesquisa recente sobre a opinião de cada grupo religioso a respeito do outro nos EUA, isso ficou claro: https://www.boston.com/news/nation/2014/07/16/evangelical-christians-love-jews-but-the-feeling-not-mutual/NUYnkEBJF7lFFgCdoigxdJ/story.html

    Esse amor por Judeus e Israel é vergonhoso, mas não mais do que as desculpas esfarrapadas de “Israel é a única democracia do Oriente Médio”.

    • Yves Santos disse:

      bem Observado os Cristãos evangélicos gostam dos Judeus mas os Judeus não gostam dos cristãos

    • Edmundo Burke disse:

      Israel é um aliado essencial para o combate ao Islão, ao terrorismo e à Nova Ordem Mundial.

      Só que certas pessoas leem sites anti-semitas, até nazistas, que dizem “hurr os judeus são bolcheviques” “durr Olavo neocon sionista” e acabam acreditando devido à própria fraqueza mental.

      Lamentável.

    • Anonimo disse:

      Exato Rafael! A direita Olavete adora babar o ovo para Israel e ainda acreditam que Israel é um país essencialmente “conservador e tradicionalista”. Será que eles nunca leram que em Israel o aborto é legalizado assim como é o país aonde mais existe parada gay no mundo? Os judeus nunca se importaram com nós cristãos. Pelo contrário, esses ratos imundos propagam o ódio ao cristianismo e ao mesmo tempo defendem com unhas e dentes o islamismo e acusam de “racista” quem se atreve a criticar a praga islâmica. Os judeus financiam movimentos negros e antifascistas. Os judeus em seus filmes de hollywood zombam dos conservadores e dos cristãos. Mas a direita “conservadora” continua lá lambendo as bolas dos judeus idiotas.

  3. Helena disse:

    Caro Felipe,

    Ao ler mais sobre eurasianismo você entenderá que, sim, é de certo modo conservador. Por que digo isso? Então, ao ler mais sobre o assunto, pegando artigos da John Hopkins e Oxford, constatei que trata-se de uma forma de fascismo misturado com outros “ismos” já conhecidos, bastante estatista, atrelado à toda ” European New right” (à lá Frente Nacional) europeia e grupos anti-americanos em geral -comunistas intercionalistas e até anarquistas, tratando-se de uma ideologia oportunista, contrária à liberdade (economicamente e socialmente) e perigosa, muito perigosa. Sobretudo, por conta de suas características, por assim dizer, camaleônicas.

    Enfim, não sei o que será do mundo nas próximas décadas mas tudo indica que caminhamos em direção à uma nova desordem mundial, donde ideologias comprovadamente falidas e degeneradas, mas com roupagens novas e discursos maquiados, tomarão conta do cenário político, da opinião pública e dos nossos centros acadêmicos.

    Obs: Procure os referidos artigos no Google Acadêmico. Assim, você entenderá que o buraco é mais embaixo.

    Forte abraço!

  4. Diego Mendes disse:

    Muito antes de qualquer “infiltração soviética”, os EUA sempre foram degenerados.Um país que dividia pretos e brancos enquanto suas instituições religiosas colonizavam rincões mestiços mundo afora(vide a protestantização do Brasil) e massacrava cristãos na Ásia com a bênçãos da Maçonaria protestante(vide massacre filipino).O dia em que a Rússia de Putin matar 1 milhão de católicos (é, ninguém fala mesmo do massacre filipino…) em nome da “democracia” e do “anti-papismo”, eu vou me preocupar com os russos.

  5. Rubem Fernando Xavier da Cruz disse:

    Sempre escutando os termos de “Direita” e “Esquerda ” desde pequeno (meu pai e meu futuro padrasto, na época, envolvidos na “Legalidade ”  em 1964) sempre achava, com cabeça de criança e depois de jovem, que seria uma espécie de luta entre o “Bem”  e o “Mal”. Descobri depois de muita leitura e reflexão que não é  tão simples assim. Um vídeo recente do Instituto FHC com Glória Alvarez Foi muito sintético ora mim. O tema é  claro “República vs Populismo”. Espero que gostem e apreciem.  É  só procurar no YouTube.

  6. Adriano disse:

    Parem de discussões estéreis, inúteis, irrealistas e contraproducentes! Se o Putin tá fingindo, que se dane! NO MOMENTO, ele e a Rússia são o ÚNICO governo/Estado forte, no planeta, apoiando ideias e ações conservadoras !!! ACORDEM !!! Por quanto tempo isso vai durar não impoprta. Carpe diem! Se ele USA a Igreja Ortodoxa como ferramenta e fachada temporária, USEMOS a Rússia no que ela puder nos ser útil (apoio pólítico, FINANCIAMENTO, treinamento, etc) enquanto for possível e conveniente para nós, conservadores do Brasil e do mundo.
    Quanto ao Eurasianismo de Alexander Dugin, é claramente fundamentado naquele tipo de esoterismo (aparentemente) conservador e ocultismo quase satanista que também dava as bases espirituais do nazismo, só que ele faz tudo para esconder isso. Tanto é que NÃO se mistura com a Igreja Ortodoxa, só finge flertar com ela (provavelmente a pedido de Putin, seu financiador) e não apoia nenhum tipo de iniciativa pró-família e/ou anti-aborto.

  7. Anonimo disse:

    “Putin é comunista”. E o charlatão do Olavo de Carvalho omite que são os judeus os responsáveis pelo ateísmo militante, feminismo e pelo ódio ao cristianismo e à família tradicional. Os maiores intelectuais de esquerda são judeus. A Escola de Frankfurt era composta basicamente por judeus.

  8. Anonimo disse:

    As Olavetes idiotas e burras acreditam que Putin é ainda um “agente comunista da KGB” mas só faltam chupar o pau de judeu sionista que são os verdadeiros culpados pelo multiculturalismo, feminismo e pelo ódio ao cristianismo. Acordem seus imbecis! O Olavo de Carvalho é um desinformante sionista e omite o papel fundamental dos judeus no comunismo que foi cria deles. A Revolução Russa de 1917 foi feita por e para eles. O povo russo nativo não queria saber de comunismo. Foram os JUDEUS quem promoveram a revolução bolchevique e foram os judeus quem mataram toda a família do Czar Nicolau II. Olavete é um ser tão tapado que não consegue enxergar o que está à sua frente. Enquanto vocês Olavetes puxam o saco dos judeus, eles zombam de cristãos em filmes de hollywood, promovem a subversão da sociedade e disseminam o ateísmo militante.

  9. Anonimo disse:

    Direitista a favor dos judeus e de Israel é uma piada de mal gosto. O que adianta você lutar contra o politicamente correto e contra o multiculturalismo se no mesmo instante você é puxa-saco de judeu? Justo o povo mais apátrida e anti-nacionalista do mundo. O povo mais hiper-coletivista que existe. Um povo que condena patriotismo e a disciplina. Engraçado é olavete que faz piadinha com negro mas basta uma crítica aos adoradores do bezerro de ouro para eles virem em peso te acusarem de “anti-semitismo”.

Escreva um comentário




*