Aborto

O homem que jogou fora o Prêmio Nobel

Eis um breve trecho do livro “Poder Global e Religião Universal”, escrito pelo Monsenhor Juan Claudio Sanahuja, publicado pela Editora Ecclesiae. “A pressão social, o medo de sermos qualificados de fundamentalistas e um sincero, ainda que equivocado, espírito de salvar o que pode ser salvo frente à avalanche de projetos, leis e costumes iníquos, podem fazer-nos cair na tentação de negociar o que é inegociável e, portanto, ceder quanto ao que não nos pertence — a ordem natural e a…read more →

Mentiras sobre o aborto – Parte 01

Este é o primeiro de uma série de artigos cujo escopo é claro: mostrar a fraude na argumentação pró-aborto. O projeto da plena legalização do aborto e até mesmo do infanticídio é um objetivo há muito tempo almejado por esquerdistas, feministas e também pela burocracia globalista, os quais para tanto utilizam de toda a fraude possível que lhes esteja ao alcance. Algumas dessas fraudes são sutis, mas a maioria delas é formada por falsificações absolutamente grosseiras dos números, da História,…read more →

Comentários ao texto do geneticista Eli Vieira

Recentemente, no site do geneticista Eli Vieira, deparei-me com um texto, com 10 argumentos a favor da descriminalização do aborto até a 12º semana de vida, em apoio ao Conselho Federal de Medicina, que divulgou nota em prol do aborto legal. O texto é interessante, pois enumera muitos dos argumentos utilizados pelos que defendem a descriminalização do aborto. Tomei a liberdade de refutá-los. Abaixo segue o texto original, em letras pretas, e meus comentários, em azul.   Pela defesa da…read more →

Revista Veja e o aborto: números fictícios

A revista “Veja” desta semana trouxe como matéria principal uma reportagem sobre o aborto. Desnecessário que se cobre isenção de “Veja” nesta questão, pois, como fica claro sempre que este veículo aborda a questão — assim como a esmagadora maioria da mídia brasileira –, “Veja” tem lado: o lado dos abortistas. Porém, nada nos impede de mostrar o que “Veja” curiosamente omitiu ou distorceu, provavelmente por má-fé. Os números do aborto “Veja” assume o número de 1 milhão de abortos…read more →

Jane Roe, a pioneira do aborto, está arrependida

Jane Roe, nome fictício de Norma McCorvey, foi a primeira norte-americana a ganhar o direito de abortar. Depois da sentença, passou 30 anos militando à frente de campanhas pró-aborto. Todavia, Norma está hoje profundamente arrependida e trabalha para que o aborto volte a ser considerado crime nos EUA: “Foi lamentável o dia em que o Supremo Tribunal americano permitiu que as mulheres assassinassem os seus filhos” Em 22 de janeiro de 1973, o Supremo Tribunal dos Estados Unidos concedeu o direito…read more →

12