Economia

5 motivos pelos quais Donald Trump será o próximo presidente dos Estados Unidos

MICHAEL MOORE – Sinto muito por ser o portador de más notícias, mas fui direto com vocês no ano passado quando disse que Donald Trump seria o candidato republicano à Presidência. E agora trago notícias ainda mais terríveis e deprimentes: Donald J. Trump vai ganhar a eleição de novembro. Esse palhaço desprezível, ignorante e perigoso, esse sociopata será o próximo presidente dos Estados Unidos. Presidente Trump. Pode começar a treinar, porque você vai dizer essas palavras pelos próximos quatro anos:…read more →

Como ostentar na Venezuela com apenas 100 euros – um caso real

Segue a divertidíssima história vivenciada pelo venezuelano Diego Urdaneta, que teve suas peripécias publicadas na revista VICE España. A crise cambiária e o mercado negro converteram a Venezuela numa distorção econômica ambulante. Tudo bem que nós temos as maiores reservas de petróleo do mundo, mas isso não conseguiu nos proteger desse fenômeno. A Venezuela é o cúmulo do absurdo. O país consegue ter o Big Mac mais caro do mundo: 7 euros a preço oficial. Ao mesmo tempo, conseguimos ter…read more →

O que é o socialismo fabiano – e por que ele importa

Antes da Revolução Russa, o Partido Comunista tinha duas alas: Bolchevique e Menchevique. Os Bolcheviques acreditavam na imediata imposição do socialismo por meios violentos, com confisco armado das propriedades, das fábricas, e das fazendas, e o assassinato dos burgueses e reacionários que porventura oferecessem resistência. Já os Mencheviques (que também se auto-rotulavam social-democratas) defendiam uma abordagem mais gradual, não-violenta e não-revolucionária para o mesmo objetivo. Para estes, a liberdade e a propriedade deveriam ser abolidas pelo voto da maioria. Os…read more →

Engenharia da complacência: o antitabagismo como engenharia social

Indignado ante o conformismo servil com que os americanos, outrora tão apegados às liberdades civis, vão aceitando as intrusões cada vez mais agressivas do governo nas suas vidas privadas, o economista Walter Williams finalmente se deu conta de que “o movimento antifumo explica parcialmente a atual complacência americana. Os zelotes do antitabagismo começaram com exigências ‘razoáveis’, como os avisos do Ministério da Saúde nos pacotes de cigarros. Depois exigiram áreas para não-fumantes nos aviões. Encorajados pelo sucesso, exigiram a proibição…read more →

O mundo precisa de um Ronald Reagan

Roma cobriu suas estátuas com nudez para não ofender o presidente do Irã Hassan Rohan em sua visita a Roma. Simbolismo é isso, o resto é besteira. Rohani aproveitou o tour europeu para fechar acordos bilionários com os países ocidentais dizendo que “a falta de crescimento cria forças para o terrorismo. O desemprego cria soldados para o terrorismo”. Traduzindo: ou vocês me dão bilhões, ou vamos continuar matando inocentes. Bill Clinton tentou a mesma estratégia com a Coréia do Norte…read more →

10 atitudes de Mauricio Macri para livrar a Argentina da austeridade

24/12 – Desmantelou o Serviço de Comunicação Audiovisual, órgão argentino que no governo Kirchner era encarregado de silenciar e identificar mídias meramente “oposicionistas”, antirrevolucionárias, antibolivarianistas ou mais apropriado, de “extrema-direita”. Além do desolojamento do organismo, decretou a expulsão do país de seu presidente, Martin Sabbatella, cujo mandato se encerraria em 2017. 27/12 – Decretou uma remodelação nos programas de mídia do governo. O principal alvo inicial foi o canal comunista Telesur, projeto político criado por Hugo Chávez e Fidel Castro, cujo objetivo…read more →

A família em busca da extinção

A “família tradicional” que os cristãos e conservadores defendem ardorosamente contra o assédio feminista, gayzista, pansexualista etc., bem como contra a usurpação do pátrio poder pelo Estado, é essencialmente a família nuclear constituída de pai, mãe e filhos (poucos). O cinema consagrou essa imagem como símbolo vivente dos valores fundamentais da cultura americana, e a transmitiu a todos os países da órbita cultural dos EUA. Mas esse modelo de família nada tem de tradicional. É um subproduto da Revolução Industrial…read more →

FHC, o último grande presidente do Brasil

Que eu sou um causador de polêmicas, isto eu já sei. Semeio as minhas provocações, mas todas elas baseadas em concepções claras e argumentativas e não em paixonites de juventude ou esquerdismos patológicos. Com a não eleição de Aécio Neves – o que o tornaria um grande estadista, assim como o seu avô seria, caso não ocorresse a tragédia que ocorreu – em 2014, não posso negar que a presidência da República Federativa do Brasil esteve, pela derradeira vez, em…read more →

Comunistas chineses são mais predatórios do que os primeiros capitalistas, diz economista

Se o fim da Guerra Fria foi interpretado como um sinal do triunfo do capitalismo ocidental sobre o comunismo, Loretta Napoleoni (foto) argumenta o oposto: o mundo está testemunhando, na verdade, o início do colapso do capitalismo e a vitória do “comunismo com a motivação do lucro”. A partir de análise detalhada da economia e política chinesas, a autora aponta os motivos e etapas do seu possível sucesso, e desenvolve uma consistente comparação entre Ocidente e Oriente. Para ela, os…read more →

Explicando a derrota dos tucanos em Minas Gerais

Não há como negar. Aécio Neves não ficou bem na foto. Perder em seu próprio estado selou seu destino rumo à Presidência. Mas há uma explicação totalmente racional para explicar esse “fracasso” em Minas Gerais. Primordial, é antes de tudo, compreender que há duas Minas Gerais: o do Norte, esmagadoramente petista, e o do Sul, cuja capital é Belo Horizonte, nitidamente tucana. Raciocinando devagar, Aécio – como candidato do PSDB – até venceu em Minas. Explicarei a situação. Para tanto, precisamos acessar…read more →