Guilherme Stumpf

Os ecos iluminados

O caráter anti-religioso do Iluminismo foi executado no plano político pelos líderes da Revolução Francesa. Como destaca Tocqueville em L’Ancien régime et la Révolution, a paixão pela irreligiosidade foi a primeira a nascer da Revolução e a última a extinguir-se. O único erro do grande pensador foi crer nesta extinção. A irreligiosidade da Revolução Francesa adveio dos mentores intelectuais do movimento – os iluministas. A hostilidade para com a religião é subproduto da hostilidade à Igreja Católica. No verbete “Razão”…read more →

Monsieur le Président

No dia 19 de setembro ocorreu a 72º Assemblei-Geral da ONU, em Nova York. Seguindo a tradição, o Brasil iniciou os trabalhos. O presidente Michel Temer, em sua fala, ressaltou a necessidade de reforma do Conselho de Segurança da ONU, pleiteando o ingresso de novos países como membros permanentes. Defendeu também a adoção de políticas econômicas de caráter liberal e criticou o protecionismo econômico. Além disso, demonstrou preocupação com a situação política da Venezuela e o número de imigrantes oriundos…read more →

62 anos depois

Café Filho chegou à Presidência, como todos sabem, diante de uma situação social e politicamente difícil para o Brasil: o suicídio de Getúlio Vargas. A principal preocupação de Café Filho era a da estabilização econômica. O próprio Presidente declarara que seu governo não pretendia ser popular, mas sim levar a cabo algumas medidas importantes. Em 1953, Vargas se preocupava com uma política antiinflacionária. Para tanto, nomeou Oswaldo Aranha como Ministro da Fazenda. Em agosto do mesmo ano, o Ministro lançou…read more →

As vozes da tortura na Venezuela

Quatro vítimas relatam o tratamento cruel e os abusos das forças de segurança enquanto estavam presos por protestar. “Rasteje como um verme”, gritavam os soldados a Paula Colmenarez Boscán (foto), uma estudante de Direito da Universidade Central da Venezuela, depois de ser presa no leste de Caracas em uma mobilização contra Nicolás Maduro em julho. “Dezenas de militares me arrastaram. Tocavam na minha virilha enquanto me carregavam em uma motocicleta. Me cobriram a cabeça, me golpearam e roubaram meu celular….read more →

Caos na Venezuela

Desde as eleições da Assembleia Nacional Constituinte convocadas pelo ditador Maduro, a situação política e social da Venezuela piorou deveras. A repressão governamental contra os dissidentes tem se mostrado cruel e desumana. No curso da semana, Antonio Mujica, diretor da Smartmatic, empresa que geriu a votação na Venezuela, denunciou a manipulação governamental no que tange ao número de eleitores. É de se reparar que a Smartmatic também já prestou serviços eleitorais no Brasil, o que, por si só, é alarmante,…read more →

S.O.S Venezuela

A Assembleia Nacional Constituinte proposta por Maduro ultrapassa todo e qualquer limite de proporcionalidade. Vargas Llosa, em entrevista ao programa Roda Viva em 2013, diz que Maduro representava o início do fim do chavismo. Hoje, quatro anos depois, arrisco dizer: um fim que se anuncia, mas que não parece estar tão próximo. No dia 27 de junho, Maduro declarou que “se a revolução bolivariana fosse destruída, nós iríamos ao combate, porque o que não se pôde com os votos, faríamos…read more →