“Diário Causa Operária” elogia eficiência do regime norte-coreano em contenção ao coronavírus

O diário eletrônico, de cunho socialista-marxista, emitiu uma nota elogiando a eficiência do regime de Kim Jong-un no combate ao novo coronavírus, o COVID-19

Segundo o Diário Causa Operária, em matéria veiculada nesta semana, o “país não apresentou ainda nenhum caso confirmado da epidemia”. Assina a ‘reportagem’ o Presidente do Centro de Estudos da Política Songun do Brasil, Lucas Rubio, utilizando de informações da própria agência estatal norte-coreana, a única do país, a Agência Central de Notícias da Coreia – KCNA.

A matéria tem início indagando o leitor a um questionamento até interessante: “Como a Coreia do Norte, localizada no epicentro da pandemia global de Covid-19, não registrou nenhum caso de contaminação?”. Explicita o autor logo em seguida que o sucesso da contenção, apesar do país ter fronteiras terrestres com a China e com a Coreia do Sul, se deve a uma “fórmula do país baseada na agilidade e na tomada de medidas centralizadas, que aparentemente poderiam parecer exageradas ou radicias, mas que se mostraram ideais”.

O regime de Kim Jong-un é o mais fechado do mundo. O país vive num Estado de guerra constante, um sistema de vigilância permanente sobre os cidadãos. O acesso à internet, caro as democracias modernas, é restrito a alta política do país e ainda assim vigiado e limitado pelo governo. Facebook, Youtube e outras redes são inacessíveis oficialmente, uma vez que são entendidas pelo regime como motores do capitalismo norte-americano.

Esses são os pontos apontados como demonstrativo da ‘eficiência’ do regime norte-coreano:

1. O fechamento total das fronteiras da RPDC com a China (as fronteiras com a Coreia do Sul estão normalmente fechadas mesmo).

2. A interrupção do tráfego de turistas exteriores. Todos os coreanos que tinham vindo do exterior nos últimos dias foram enviados para quarentena monitorada.

3. Os poucos trens de carga que já estavam programados para entrar no país passaram por rigorosa inspeção de descontaminação com o uso de soluções químicas.

4. Suspensão das atividades em portos, aeroportos e postos de transporte de origem externa.

5. Campanha nacional de conscientização de medidas de segurança e “etiqueta viral”: usar máscaras para evitar espalhar gotículas de saliva enquanto fala e, quando não estiver usando uma, tossir ou espirrar de modo a não espalhar gotículas no ar, uso de álcool em gel após tocar superfícies compartilhadas e lavar as mãos continuamente.

6. A programação da TV estatal da Coreia foi reformulada e vários boletins atualizaram a situação global do vírus. Foram vinculados programas e documentários sobre o combate ao vírus. Carros de som passam pelas ruas avisando as pessoas a manterem atenção.

7. Foram montados grupos de desinfecção que rondam diariamente transportes públicos e locais de trabalho com soluções químicas desinfectantes, descontaminando os corrimões, bancos, maçanetas e locais de contato coletivo.

8. Foram montadas equipes médicas e reforçados os esforços médicos e sanitários por todo o país, preparando hospitais e postos de saúde para atender as pessoas em caso de epidemia. Equipes de médicos e enfermeiros começaram a rondar as cidades e visitar as casas das pessoas com qualquer tipo de gripe.

O autor conclui a ‘matéria’ elogiando o sucesso do regime de Kim Jong-un como “uma vitória do socialismo coreano” na qual seria uma mentira da “mídia imperialista global” a informação extensamente divulgada na qual as pessoas na Coreia do Norte com covid-19 estavam sendo executadas por pelotões de fuzilamento, o que justificaria o número de casos.”

Alega o ‘repórter’ que “isso não passa, é claro, de uma mentira que visa a atacar a RPDC e desacreditar os êxitos da medicina popular socialista.”

As medidas foram “tomadas de maneira científica e com agilidade”, “resultando que nenhum caso foi identificado na Coreia do Norte”.

Comentários

0 Comentário

Escreva um comentário




*