Escolas francesas querem acabar com termos ‘Mãe’ e ‘Pai’

A ideia é tratar as famílias tradicionais e os casais do mesmo sexo de forma igual.

As escolas francesas deverão proceder à substituição dos termos ‘mãe’ e ‘pai’ por ‘encarregado de educação 1’ e ‘encarregado de educação 2’ como consta numa emenda ao projeto de lei aprovada esta semana.

De acordo com o documento, os novos termos sem género vão substituir os termos tradicionais na parte administrativa. “Esta emenda tem como objetivo enraizar a diversidade da família das crianças na burocracia que tem de ser entregue nas escolas”, referiu Valérie Petit, deputada do partido La République en Marche, fundado por Emmanuel Macron, citada pelo Liberátion.

De acordo com a deputada, as reformas administrativas que têm sido feitas não têm em conta as famílias do mesmo sexo e a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

“Temos famílias que se veem confrontadas com caixas para assinalar em formulários social e familiarmente antiquados. Para nós este artigo é uma medida de igualdade social”, acrescentou.

Os legisladores conservadores condenaram a lei, recordando que a maioria das famílias continua a ser tradicional. “Quando oiço as pessoas a dizer que isto é um modelo ultrapassado, queria relembrar as pessoas que, tendo em conta as uniões celebradas, civis ou maritais, cerca de 95% são entre casais homem-mulher”, justificou o deputado conservador Xavier Breton. Os conservadores alegam ainda que a nova nomenclatura dissolve o conceito básico de família.

Ironicamente nem só os conservadores têm críticas a fazer. A AFDH, uma associação francesa que apoia pais do mesmo sexo, criticou o facto de a linguagem proposta não ser perfeita porque os números 1 e 2 implicam que um dos pais é mais importante que o outro.

A lei pode ainda ser rejeitada pelo Senado, que tem uma maioria de direita. Isso fará com que a legislação regresse à Assembleia Nacional para emendas e leitura final.

Publicado originalmente em Notícias ao minuto.

Comentários

1 Comentário

  1. Thereza Lima de Jesus disse:

    O amor deve presidir qualquer relacionamento, notadamente, em um lar. Soa tão impessoal o termo “encarregado da educação”! A educadora baiana Amélia Rodrigues, envia-nos preciosas mensagens , através de obras memoráveis. Recordo-me de um seu ensinamento – “O amor de mãe,qual o maior em qualquer expressão nobre, é força incoercível que proporciona a plenitude do ser humano.”

Escreva um comentário




*