EUA decidem que atletas trans em esportes femininos é ilegal

Definição foi tomada por Setor de Direitos Civis do Departamento de Educação dos EUA

Uma decisão tomada pelo Departamento de Educação dos Estados Unidos definiu que a política da Conferência Atlética Interescolástica do estado de Connecticut viola a lei federal de direitos civis de atletas femininas. A regulamentação estadual permite que atletas trans possam competir no esporte feminino, o que é ilegal.

Na determinação, o Setor de Direitos Civis do Departamento de Educação emitiu uma carta explicando a decisão de impedir que atletas trans participem de competições femininas. Com 45 páginas, o documento é uma resposta a um pedido da Alliance Defending Freedom (Aliança Defendendo a Liberdade) em favor de competidoras femininas.

No pedido, jovens alegaram ter perdido oportunidades competitivas e possíveis bolsas de estudos, depois que terminaram as disputas atrás de dois atletas trans, Terry Miller e Andraya Yearwood, em várias competições estaduais.

Segundo Roger Brooks, advogado da Alliance Defending Freedom que representa as meninas, o processo deve abrir precedentes em todo o país para que decisões similares possam ajudar atletas femininas a encararem competições mais justas.

– É uma primeira decisão da agência encarregada de aplicar o Título IX (oportunidades iguais para mulheres), abordando a questão de saber se os homens no campo de jogo ou na pista estão privando as meninas de oportunidades consistentes com o Título IX – completou.

Pleno News.

Comentários

0 Comentário

Escreva um comentário




*