16 estados americanos introduzem legislação banindo a Sharia

Toda vez que um estado norte-americano quer proibir a Sharia [a lei islâmica] dentro dos seus limites de território, grupos muçulmanos geralmente liderados pelo Council on American-Islamic Relations (CAIR) – gritam “islamofobia”. O que geralmente leva à pergunta: se tais grupos não eram a favor da lei Sharia, por que eles se importam dela ser definitivamente banida?

Burca1

Não importa ao fato da Sharia já ter sido utilizada nos tribunais norte-americanos. Grupos como CAIR sempre insistem que a legislação americana é islamofóbica e que necessita ser parada. O Estado do Alabama tornou-se o mais recente estado a proibir a Sharia, quando seus eleitores aprovaram uma emenda à constituição estadual. O CAIR respondeu afirmando que o movimento era “violentamente racista” e “profundamente hostil em relação aos muçulmanos”. A população do Alabama parece não ter se importado muito com o que eles disseram.

De qualquer maneira, a Sharia não tem exatamente uma boa imagem, para além do clima pré-século XVI. Talvez seja o fato da lei islâmica ter sido utilizada na Flórida, onde um juiz permitiu a lei muçulmana para substituir a lei americana em uma disputa sobre os fundos de uma mesquita.

Também há a possibilidade dos eleitores americanos não desejarem uma nova versão do Reino Unido em terras norte-americanas, onde literalmente “patrulhas Sharia” intimidam as pessoas por não serem suficientemente islâmicas.

Um membro de uma destas patrulhas afirmou em um vídeo postado no Youtube: “Em última análise, eu quero ver cada mulher neste país coberto da cabeça aos pés, eu quero ver a mão do ladrão cortada, eu quero ver adúlteras apedrejadas até a morte”

O grupo CAIR identificou 16 estados com legislações para proibir ou restringir a lei islâmica em 2013: Alabama, Arkansas, Flórida, Indiana, Iowa, Kentucky, Mississippi, Missouri, North Carolina, Oklahoma, Carolina do Sul, Texas, Virgínia, Washington, West Virginia, Wyoming. Talvez um dia possamos até mesmo ter a lista de todos os 50 estados.

Por Conservative Tribune. Traduzido por John Ford Braüner.

Comentários

6 Comentários

  1. Marcos disse:

    hehe Parece que finalmente os americanos estão acordando.

  2. Anderson disse:

    Pelo menos, nos EUA, os conservadores têm o que conservar. No Brasil…

    • Foto de perfil de Renan Renan disse:

      Nós temos muito o que conservar no Brasil, e essa sua postura não é uma delas.

      • Anderson disse:

        Eu sei que algumas coisas devem ser conservadas neste país. Mas, além de conservar o que já se tem de firme, o que deve acontecer é mudança em várias áreas do Estado, política, economia, educação e etc.

        Nos EUA eles têm muito a conservar, como a carta constitucional, valores arraigados, de gerações, nos americanos e outras coisas.

        No Brasil, muita coisa deve mudar… Mas não para o lado esquerdo, obviamente. Precisamos de liberdades individuais (não de direitos de minorias), direitos de propriedade, estado mínimo, educação renovada estruturalmente e não ideologizada. E ainda outras tantas coisas.

  3. Martius disse:

    Apesar do muito que há de ruim, ao menos uma coisa temos que admirar nos muçulmanos: ladrões não tem vez.

  4. noyce disse:

    Não importa o quanto os politicamente corretos forcem, pra mim o islã sempre sera uma religião e uma cultura alienante e perigosa. São irresponsáves os governantes de países democráticos que em nome da total ‘democracia’ permitem um movimento anti democratico se alastrar em seu país e contaminar o seu povo.

Escreva um comentário





*