Cumprindo promessa, Trump corta ajuda financeira a ONGs que fazem abortos

O presidente dos EUA, Donald Trump, assinou nesta segunda-feira uma ordem para limitar a ajuda financeira a ONGs estrangeiras que realizam ou performam abortos. O republicano despachou em uma cerimônia do Salão Oval, em que também assinou uma ordem para formalmente retirar o país do TPP (Parceria Trans-Pacífica). Em seus primeiros dias de trabalho, o republicano já cumpre algumas das suas polêmicas promessas de campanha.

A medida — inicialmente estabelecida pelo então presidente Ronald Reagan em 1984 — bloqueia o financiamento federal a organizações internacionais de planejamento familiar que realizam abortos ou promovem o procedimento ao oferecer inforamações a pacientes sobre o tema. Desde que a política foi criada, entrou na batalha política dos EUA: os democratas a suspenderam e os republicanos a reestabeleceram.

Ao tomar posse em 2009, Obama rescindiu da medida. Agora, com o novo governo republicano de Trump, os democratas rapidamente responderam à mudança e criticaram o presidente pelo que chamaram de uma perigosa obsessão em provocar retrocessos nos direitos reprodutivos.

Na campanha, Trump chegou a asssumir uma postura bastante dura em relação ao aborto. O magnata disse que as mulheres que recorrem ao procedimento deveriam ser banids. Depois, no entanto, voltou atrás na declaração. O vice-presidente, Mike Pence, também é um forte crítico do aborto. Enquanto era governador de Indiana, passou diversas leis para restringir o procedimento.

Comentários

0 Comentário

Escreva um comentário





*