Cresce o número de católicos no mundo: 1,2 bilhão

Cidade do Vaticano (RV) – Os católicos batizados no mundo passaram de 1,115 a 1,254 bilhões, entre 2005 e 2013, o que representa um aumento de 12%. No mesmo período, a população mundial passou de 6,463 a 7,094 bilhões. A percentagem de católicos batizados no mundo, portanto, representa 17,7% da população. Os dados estão contidos no Anuário Pontifício 2015, publicado na quinta-feira, 16/04/2015.

Os percentuais, no entanto, sofrem variações nos diversos continentes. A Europa, por exemplo, com um crescimento populacional tendendo ao declínio nos próximos decênios, observou um leve aumento dos batizados em 2013, totalizando 287 milhões, 6,6 milhões a mais em relação a 2005.

Na realidade africana, por sua vez, os católicos tiveram um incremento de 34%, passando de 153 milhões em 2005 a 206 milhões em 2013. O aumento deve-se, sobretudo, à elevação da presença dos fiéis batizados. Os católicos, que representavam 17,1% da população africana em 2005, oito anos mais tarde passaram a representar quase 19% da população no continente.

Madrid-Portal-Conservador

Católicos em crescimento na América e Ásia

O crescimento de fiéis na América e Ásia, por sua vez, teve um incremento de 10,5 e 17,4%, explicável em parte pelo aumento populacional registrado no período. Em termos relativos, de fato, os católicos americanos mantém o percentual de 63% da população, enquanto na Ásia a incidência de católicos passou de 2,9% em 2005 a 3,2% em 2013.  Na Oceania a incidência de católicos batizados por cada cem habitantes permanece estável, não obstante em valores absolutos tenha observado um leve decréscimo.

Apostolado em aumento

A força do apostolado, constituída por bispos, sacerdotes, diáconos permanentes, religiosos não sacerdotes, religiosas professas, membros de institutos seculares, missionários leigos e catequistas, perfazia um total de 4.762.458 ao final de 2013, com uma variação positiva de 300 mil em relação à mesma data de 2005. Os percentuais entre os diversos componentes que constituem as forças de apostolado possuem grande variação nos diversos continentes. Na média mundial, a relação percentual entre a soma dos bispos, dos sacerdotes e dos diáconos permanentes e o complexo de todos os agentes pastorais resultava, no final de 2013, de 9,7%, com valores inferiores na África (8,1%) e no sudeste asiático (9,4%) e valore superiores na Europa (19%) e na América do Norte (12,5%). Os territórios de missão, assim, se caracterizam por um acentuado apostolado leigo.

Hierarquias locais substituem bispos missionários

Em 31 de dezembro de 2013 estavam presentes em todas as circunscrições eclesiásticas 5.173 bispos, o que representa um aumento de 40 prelados em relação ao ano precedente, número um pouco inferior à média dos últimos oito anos. A presença mais numerosa de bispos está na América e Europa, onde vivem, respectivamente, 37,4 e 31,4 dos bispos do planeta, seguidos pela Ásia (15,1%), África (13,6%) e Oceania (2,5%). Um aspecto interessante a ser destacado é o do lento mas gradual processo de substituição dos bispos missionários pelas hierarquias locais. Considerando como indicador deste fenômeno a relação percentual entre os bispos não-nativos no continente e o total, se observa que no período de 2005 a 2013 o valor deste índice diminuiu na Oceania, África e América, enquanto aumentou na Europa e Ásia, mesmo que levemente.

Sacerdotes em aumento na África e Ásia

O número total de sacerdotes – diocesanos e religiosos -, no final de 2013, era de 415.348, 0,3% superior ao ano precedente. O incremento verificou-se em todos os territórios, com exceção da América do Norte e Europa, onde o número de sacerdotes reduziu de 1,4 a 1,2%. A América Central teve um aumento de 1,6% no número de sacerdotes, a América do Sul de 1,0%, o Sudeste asiático de 2,4% e a África 4,2%. Comparando com o ano de 2005, o aumento total do número de sacerdotes foi de 2,2%. As maior variações positivas ocorreram na África (29,2%) e na Ásia (22,8%), enquanto na Europa houve uma queda de 7,1%. A distribuição dos sacerdotes por área geográfica coloca em evidência uma acentuada concentração, com 44,3% dos sacerdotes no continente europeu, onde vivem pouco menos de 23% de todos os católicos no mundo, contra 29,6% dos sacerdotes na América, onde vivem 49% dos católicos. A Ásia tem 14,8%  dos sacerdotes para 10,9% de católicos; a África 10,1% com 16,4% de católicos e por fim, a Oceania, com 1,2% dos sacerdotes e 0,8% dos católicos.

Diáconos permanentes em crescimento

Os diáconos permanentes, diocesanos e religiosos, estão em forte expansão, quer a nível mundial, quer em cada continente em particular, passando de um total de 33.391 em 2005 para mais de 43 mil em 2013, com um aumento percentual de 29%. Europa e América registram quer a consistência numérica mais significativa, quer o aumento mais dinâmico. Na América, por exemplo, existiam mais de 21 mil diáconos em 2005 que passaram a 28 mil em 2013. Estes dois continentes, sozinhos, representavam em 2013, 97,6% do total mundial, com o restante dividido entre África, Ásia e Oceania.

Religiosos não-sacerdotes aumentaram

O grupo dos religiosos professos não-sacerdotes teve um aumento percentual de 1,0% entre 2005 e 2013. Em 2005 eram 54.708 em todo o mundo, passando a 55 mil em 2013. A África e a Ásia observam uma variação positiva de 6 e 30%, respectivamente. Em 2013, estes dois continentes representavam mais de 36% do total. No sentido inverso, o grupo constituído pela Europa (com variação negativa de 10,9%), América (-2,8%) e Oceania (-2,0%).

Religiosas em diminuição

As religiosas professas diminuíram 1,3% entre 2012 e 2013, valor que iguala a média anual entre 2005 e 2013, quando passaram de 760.529 para  693.575, com uma variação negativa total de 8,8%. A queda, também neste caso, diz respeito à Europa, América e Oceania, com redução de 18,3%, 15,5% e 17,1%, respectivamente.  Na África e na Ásia, por sua vez, o incremento foi de 18% e 10% respectivamente. A incidência em relação ao total mundial em 2005 e em 2013 é praticamente a mesma na Oceania. O peso da Europa e da América, pelo contrário, caiu de 42,5% para 38% e de 28,3 para 26,2% respectivamente, enquanto o da Ásia subiu de 20,2 para 23,8% e das religiosas africanas de 7,7 a 10,1%.

Vocações sacerdotais em queda

Após um período de constante aumento do número de vocações sacerdotais, com um maior crescimento observado em 2011, se assiste no último biênio a uma inversão desta tendência. O número total dos inscritos nos cursos de filosofia e de teologia dos centros diocesanos e religiosos de formação ao sacerdócio de todo o mundo católico foi de 118.251 em 2013 contra 120.616 em 2011, uma leve queda de 2%. A diminuição das vocações sacerdotais em 2013 foi geral, com única exceção no continente africano, que viu um aumento de 1,5%. Na América do Norte, em particular nos Estados Unidos, houve uma redução de 5,2% entre 2011 e 2013. A América Central viu um contração de 0,1% das vocações sacerdotais, enquanto a América do Sul registrou, no mesmo período, uma diminuição de quase 7%, com destaque para a Colômbia (-10,5%), Chile (-11,2%) e Peru (-11,2%). O Brasil, por sua vez, viu reduzir em 6,7 % o número de vocações sacerdotais.

Também no continente asiático houve uma leve queda de 0,5% em relação a 2011. O fato foi observado sobretudo na Indonésia, na Coreia e nas Filipinas, enquanto na Índia o número de seminaristas cresceu 0,5%. No continente europeu, verificou-se uma queda de 3,6% no biênio. Contribuíram para este fenômeno sobretudo a Polônia (-10%), Grã Bretanha (-11,5%), Alemanha (-7,7%), República Tcheca (-13%), Áustria (-10,9%), França (-3,5%) e Espanha (-1,8%). Por outro lado, as vocações tiveram um aumento na Itália (0,3%), Ucrânia (4,5%) e Bélgica (7,5%). Já na Oceania, o número de seminaristas reduziu-se em 5,1% entre 2011 e 2013.

A redação do Anuário Pontifício esteve sob os cuidados de Mons. Vittorio Formenti, encarregado do Departamento Central de Estatística da Igreja, do Prof. Enrico Nenna, além de outros colaboradores. (JE/Sedoc)

Comentários

0 Comentário

Escreva um comentário





*