fbpx


Os desafios do novo presidente

Depois da campanha mais aflorada dos últimos anos, onde os ânimos dos brasileiros nunca tiveram tão aflorados, o novo presidente Jair Messias Bolsonaro terá que já agora nos primeiros dias após eleito tentar pacificar o País e minimizar qualquer permanência de palanque eleitoral.

Mesmo já confirmando quatro nomes da sua equipe ministerial: General Heleno (Defesa), Paulo Guedes (Fazenda), Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia). Ele terá que nos próximos dias fechar toda a equipe e anunciar se aglutinará pastas e extinguirá outras. Tarefa que não é fácil, um ponto positivo é a flexibilidade de escolha do presidente eleito, haja vista que seu palanque não somou muitas siglas partidária evitando o loteamento do neo-Governo.

 

Mesmo com os famosos 100 dias de prazo para qualquer Governo, Bolsonaro terá pela frente um partido que é competente em matéria de oposição, o PT estará na sua cola, ele não poderá titubear um momento. As primeiras impressões após o primeiro de janeiro de 2019 norteará o tom do seu Governo, as famosas reformas que todos prometeram não poderá passar do primeiro ano e para que isso aconteça nos primeiros meses o Congresso terá que está afinado com o presidente.

Por fim, dentre tantos outros desafios o maior que o presidente Bolsonaro terá pela frente é suprir o grau de esperança que os brasileiros depositou em sua pessoa. Sobretudo no combate a corrupção e respostas incisivas na segurança pública. À ele e sua equipe desejamos sorte!

Faltou – No discurso de Haddad faltou o famoso gesto democrático de reconhecer a derrota e parabenizar o vitorioso, gesto tradicional de fazer a ligação ao candidato eleito. A falta disso é fruto do clima criado durante o período eleitoral. A vitória de Bolsonaro quebra um ciclo de 16 anos de comemoração petista nas urnas.

Rápidas

Tucanos – Eleito governador de São Paulo, João Doria Jr terá pela frente assumir o protagonismo da sigla tucana em nível nacional. Mesmo a contragosto de Alckmin, Doria é o novo líder natural tucano. O pernambucano Bruno Araújo acompanhou a apuração ao lado do governador eleito na capital paulistana.

Fez feio  – O Instituo Vox Populi vem caindo num mar de veradeiro descrédito. Às vésperas do pleito divulgou uma pesquisa que apontava empate técnico entre os prescindenciáveis. Verdadeira discrepância do que foi a eleição deste domingo.

Pinga-fogo: Como Bolsonaro vai agir com o Nordeste que concedeu uma expressiva vitória a Haddad?

Escrito por Elielson Lima. Blog do Elielson.

Comentários

1 Comentário

  1. Essa gente do PT continua metida a besta, vingativos, e fazendo as coisas por baixo do pano! Tava na cara do Haddad o despeito, a raiva por ter perdido a eleição! Tentou disfarçar o impeachment daquela pilantra da Dilma, dizendo, “afastamento”, tentou convencer seus fanáticos Camisa vermelhas de que aquele ladrão presidiário, teria que ser solto! Eles vão ver o que é bom para tosse, se tentarem alguma coisa! Penso que todos aqueles que disseram que se Bolsonário fosse eleito, eles sairiam do Brasil, devem aproveitar o momento para fazê-lo, antes que os peguem por aqui, o que terá ser feito assim que ele sentar na cadeira de presidente!Toda essa corja que está mamando nas tetas do governo vão ter que se acostumar em fazerem uso das verbas por merecimento, inclusive a Globo que, pelo que já foi divulgado recebeu e recebe milhões e milhões de verbas desse governo corrupto! ” Deus é grande,,mas, seu Poderes Ainda São Maiores!

    Abraços

    dyezzi::.

Escreva um comentário




*