Senadores simulam divisão do fundo eleitoral de R$ 2 bilhões, diz coluna

Líder na lista é Eduardo Girão (Podemos), que levaria R$ 124 milhões ao Ceará

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Um grupo de senadores fez uma estimativa de quantos milhões de reais cada colega poderia levar à saúde do seu estado caso o Congresso abra mão do fundão eleitoral de R$ 2 bilhões. Trata-se de uma tentativa de angariar mais apoio à proposta. A informação é da coluna de Guilherme Amado, da revista Época.

De acordo com a publicação, o líder na lista é Eduardo Girão (Podemos), que levaria R$ 124 milhões ao Ceará. Carlos Viana (PSD) vem em seguida, com R$ 102 milhões a Minas Gerais.

Já o tucano Rodrigo Cunha, poderia anunciar R$ 98 milhões para Alagoas. O Muda Senado está empenhado. “Se esse valor do Fundão salvar uma vida da Covid-19, já terá valido a pena”, um senador escreveu aos colegas no WhatsApp.

‘Não tem caminho fácil’, diz Teich sobre fim da pandemia de coronavírus

Segundo ministro, desafios são “produndos” e envolvem o econômico e o social.

Para o ministro da Saúde, Nelson Teich, “não tem caminho fácil” para sair da crise causada pelo novo coronavírus, o causador da Covid-19. De acordo com o portal G1, o gestor afirmou durante uma videoconferência que reuniu ministros do G20, neste domingo (19), que após a crise sanitária os sistemas de saúde não serão mais os mesmos.

Recém empossado, na última sexta-feira (17), Teich assumiu o cargo que ocupou Luiz Henrique Mandetta, demitido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) após série de desavenças envolvendo a orientação de isolamento social, entre outras.

“Não tem caminho fácil para sair da crise e acredito que os sistemas de saúde nunca mais serão os mesmos depois dessa experiência”, afirmou Teich.

O ministro também reforçou a importância do trabalho da Organização Mundial da Saúde (OMS) e destacou que a pandemia traz desafios “profundos” não só para o Brasil, mas para todos os países. “A urgência da covid19 está nos confrontando a todos, e isso é crítico. E parabenizamos essa reunião dos ministros da Saúde do G20″.

Comentários

0 Comentário

Escreva um comentário




*