Colunas

O julgamento de Jesus Cristo e a crucificação masculina

Jesus Cristo foi preso sem culpa, acusado sem indícios, julgado sem testemunhas legais, apenado com veredito errado, e por fim, entregue à mercê da boa vontade de um Juiz. (Roberto Victor Pereira Ribeiro) A história de Jesus Cristo é conhecida no mundo inteiro e o seu julgamento, o maior escândalo de ilegalidades processuais de todos os tempos, cuja condenação descumpriu os ritos judiciais da época, da lei hebraica e também da lei romana. A sua sentença já estava pronta, assim…read more →

O silêncio da violência doméstica contra homens

Não há estatísticas oficiais de violência doméstica contra os homens no país, e os poucos estudos realizados a respeito não têm a devida visibilidade. Diversos países buscam soluções para a violência conjugal, vez que violência não tem sexo, enquanto o Brasil segrega a população até mesmo na possibilidade de denúncias de violência doméstica, não sendo permitido ao homem ter voz, obrigando-o a conviver diariamente com essa invisibilidade. Historicamente atribuiu-se a mulher o caráter de mansa, serena, inofensiva e incapaz de…read more →

O habeas corpus de Lula no TRF-4: os caminhos políticos ao lado dos caminhos jurídicos do Brasil

É lamentável senhores o que ocorreu no último domingo (08) de julho. Se havia alguma dúvida de que o Direito se desatrelou dos julgamentos em nosso país, essa dúvida não mais existe. Dúvida que não existe mais também é aquela que é chancelada com a certeza da fragilidade, do distanciamento e do descompasso das instituições jurídicas existentes no Brasil. Como afirmei em minha última coluna, falta segurança, falta segurança jurídica. Assistimos (bestializados, como sempre) uma batalha que já tem um…read more →

A criminalização midiática masculina e a vulgarização da Lei Maria da Penha

Com o presente trabalho, espera-se elucidar aos leitores as ilegalidades que perpassam a Lei 11.340/2006, que embora constitucional, teve sua aplicabilidade falseada, sem, contudo, esgotar o tema, notadamente observando sua amplitude. O histórico de violência sofrida pelas mulheres é inegável, e a Lei Maria da Penha proporcionou avanços e enfrentamentos na ceara da violência doméstica e familiar feminina. Porém, por meio da hegemonia cultural que sacraliza a mulher como ser inócuo e inábil para a prática de delitos, a citada…read more →

Quando a pureza vai embora, o estado de guerra é permanente

Meu primeiro artigo no Portal, escrevia sobre “Feminismo, o câncer das relações afetivas”, mas deixarei para depois, vez que antes de terminá-lo me lembrei de uma palavra que traduz não só o avançar do feminismo e as promiscuidades inerentes a tal movimento, mas todas as brigas, discórdias e violências que permeiam a nossa sociedade: PUREZA. Pureza é ausência de egoísmo, e caminha de mãos dadas com a modéstia. Palavras tão simples, mas que carregam um mundo inteiro de significados, e…read more →

Como é a sensação de descobrir ser portador da Síndrome de Asperger?

Há uma tendência, no mundo moderno de massa, no qual a globalização tende a padronizar ou mesmo sufocar as culturas tradicionais humanas, do indivíduo médio procurar ser distinto ou de sobressair dos demais. Portanto, sai à busca de qualidades ou condições que lhe permitem de certa forma, ressaltar sua individualidade. Isto fica ainda mais evidente com a divulgação de certas síndromes, como a de Asperger [1], por programas de massa, a exemplo do personagem Sheldon na famosa série The Big…read more →

Lumpemproletariado, violência e desarmamento civil em prol da Revolução

O intento não é o de dar uma concepção filosófica à violência, ou de explicar o porquê da existência da violência. Aqui almejo discutir como a violência é utilizada em prol da revolução, e o porquê dela ser uma alternativa a longo prazo para o crescimento do Estado. O caminho do controle de armas é uma alternativa muito mais segura do que instalar uma ditadura goela abaixo. Primeiro porque os desarmamentistas podem se esconder no discurso da paz e na…read more →

Mais 10 filmes conservadores para você assistir – Parte 3

1. Silêncio (2016) Dirigido pelo famoso diretor americano Martin Scorsese e com participação de Liam Neeson (o Barão de Ibelin em Cruzada) como um padre jesuíta, o filme retrata a dura perseguição sofrida pelos católicos no Japão do século XVII, onde o cristianismo fora proibido. De um solo inicialmente fértil para a difusão do cristianismo (onde se apontava mais de trezentos mil fieis), a reunificação do Japão promovida por um novo governo proibiu as ordens católicas, infligindo até mesmo aos…read more →

O Centenário de um gênio

Parte I – Jurisprudência: 06 de fevereiro de 1918. A data da morte de Gustav Klimt (foto), o precursor do movimento modernista vienense. Com uma pintura extravagante e singular, tornou-se referência mundial. Em 1883, Klimt foi convidado para pintar os quadros da Universidade de Viena, que seria inaugurada. Seguindo o chavão iluminista, pretendia-se que Klimt demonstrasse a vitória das trevas sobre a luz. Os afrescos seriam alusivos aos cursos ofertados pela Universidade: Teologia, Direito, Medicina e Filosofia. Fora convidado para…read more →

E o tempo levou.

“Criticar o mundo moderno em nome de um mundo que passou, por melhor que tenha sido, é literalmente uma forma de culto da História, tão condenável quanto o culto que lhe prestam progressistas de toda sorte. É por isto que não creio na crítica ao mundo moderno em nome da Igreja Católica ou de um tempo passado, mas somente em nome da verdade, trazida pela consciência individual, sua única portadora. Ela que fundamentará qualquer fala, a favor ou contra qualquer…read more →